Eva Green cede entrevista para MiNDFOOD

 

Estrelando em O Lar das Crianças Peculiares, a fabulosa, glamorosa e inconvencional Eva Green, 36 anos, conversa com MiND FOOD sobre diversos assuntos – De sobre se sentir ‘Atraente o suficiente’ para Hollywood, até seus medos de infância de palhaços. A antiga Bond Girl (Casino Royale) e regular na série de TV, Penny Dreadful, nasceu em Paris. Ela exala uma misteriosa e antiquada qualidade raramente vista nas atrizes modernas. Essa mesma qualidade tem garantido sua carreira nos filmes.

 

Miss Peregrine é descrita como misteriosa, inteligente e dura. Alguns poderiam dizer que este foi um ajuste perfeito.

(Risos) Bem, eu gosto de pensar assim. Eu tento.

 

O que você gosta nesta personagem literária?

Ela é tão legal. Ela cuida de todas essas lindas crianças e fuma cachimbo (risos). E também, é a primeira vez que eu não estou sendo o interesse amoroso.

 

Você fuma?

Não mais. Eu costumava ser fumante, mas eu parei há 3 anos.

 

Pensando na palavra peculiar, quando foi que você se sentiu peculiar em sua vida?

Eu sempre me senti um pouco peculiar. Eu acho que muitas pessoas de alguma maneira já se sentiram, muito diferentes [de outras]. As pessoas dizem que eu sou estranha, mas eu não me sinto estranha – então talvez eu seja estranha! (Risos) Eu tenho cabelo preto, eu me senti estranha quando criança, eu era muito tímida, com medo de ir a festas de aniversário e de palhaços.

 

O que te assusta agora?

Deus, muitas coisas neste mundo. Eu não sei por onde começar. Ganância, poluição… A ganância principalmente.

 

Você tem algum animal de estimação?

Eu tenho um cão, mas minha irmã cuida dele. Ele é um Border Terrier. O nome dele é o Sr. Griffin.

 

Como você se dá com sua irmã?

Minha irmã vive na Itália, então eu não a vejo muito frequentemente, mas nós conversamos via Skype. Ela tem duas lindas crianças que eu adoro. Ela tem um vinhedo, então ela faz o próprio vinho. Sim, é muito legal.

 

Como ela cuida do seu cão na Itália?

Bem, ele é mais o cão dela agora, é verdade. É meio triste. É difícil viajar com um cão. No Eurostar você não pode levar o seu cão com você, o que eu espero que um dia eles façam com que isso aconteça.

 

Como você gosta de estar em Los Angeles? Não é muito o seu estilo de cidade?

Eu estou meio que ok com LA agora. No início era bem intimidante, mas agora eu até gosto. Mas isso levou um tempo. Acho que muitos atores se sentem estranhos em LA. Você sempre se sente como se estivesse sendo julgado. Você é gostosa? Você não é gostosa? É um negócio estranho.

 

Você é vegetariana?

 Sim, quase uma vegana. Eu trapaceio às vezes, mas eu sou vegana. Sim, bem Hollywood (risos).

 

 Você tem alguma maneira favorita de se cuidar?

Sim, eu amo caminhar, gosto de longas caminhadas, andar nas montanhas, escaladas.

 

O que tempo significa para você? Você usa relógio?

Ah, odeio relógios na vida real. Eu não posso usar relógios pois eu iria olhar para ele todo segundo. É meio que um vício (risos). Eu acho que talvez, isso me faz lembrar da escola ou algo assim. Eu preciso estar na hora. Eu meio que sou surtada com isso. Eu sou como meu pai, que é sueco, então é tudo sobre ser pontual. Mas eu não tenho uma agenda e eu não gosto muito de regras.

 

Como você se sente sobre a passagem do tempo?

Sinto que está acelerando à medida que eu envelheço.

 

Você alguma vez já pensou ‘ Por que eu entrei nesse negócio? ’

 Eu não sei. Sim, é uma indústria bastante dura e eu sinto que às vezes eu irei alcançar um ponto em que eu estarei ‘Chega! Não consigo mais fazer isso! ’ Sendo julgada todo o tempo e seu agente e quem quer que seja dirá para você não, ‘Você não é gostosa o suficiente’ Isso é difícil.

 

Onde você mora?

Londres.

 

Como você descreveria seu apartamento? É moderno? É antiquado?

Não, parece ah, Deus, é uma mistura de Asiático-Indiano. Parece um templo, como uma bolha. É um pouco barroco, sim.

 

O que você gosta sobre cachimbos?

Tem algo maravilhoso e algo bem estranho, o cheiro dele, é bem doce. Eu me sinto um homem, um detetive. É bem legal.

 

Você está usando anéis bem interessantes…

Ah, os anéis. Sim, eu tenho vários como esse. É meio que um anel da sorte. Eu fico um pouco nervosa quando dou entrevistas, então é meio que uma armadura. É de uma designer que eu não consigo pronunciar seu nome corretamente. É Elena Okutova. Eu vou no site dela. Ela tem uma página no Facebook e ela é, novamente, bem barroca e bem colorida, e meio mágica. Tem um mundo em cada pedra, quase como uma bola de cristal ou algo do tipo, sim.

 

Que tipo de música você escuta?

Todos os tipos. Eu gosto de jazz, clássica, alternativa. A música é importante na minha vida.

 

-Entrevista traduzida por Eva Green Brasil

Fonte